© Todos direitos reservados a Aprendendo a Pensar

info@aprendendoapensar.com.br

+55 11 96466-2184

Av. Paulista, 726 - 13º andar - Conj.1303 - Bela Vista

01310-100 - São Paulo - SP

  • Instagram - Black Circle
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Xiko Acis

Precisamos redefinir o que é sucesso!


O pragmatismo capitalista definiu sucesso como uma medida de êxito do ser humano. Também acentuou que o sucesso tem caráter relativo e provisório. Ele nunca é final ou terminal. O mundo não para quando uma pessoa obtém sucesso. Nem a pessoa.


Na maioria das vezes, a busca pelo sucesso é uma jornada individual e egoica. Quando afirmamos que uma pessoa teve sucesso na vida, estamos nos apoiando muito mais nas informações sobre "possuir coisas" do que em outro campo de juízo mais intelectualizado.


Sucesso é sinônimo de "ter", seja dinheiro, fama ou poder. O sucesso de uma empresa está ligado diretamente ao seu lucro ou ao quanto ela vale. O sentimento do capitalismo prevalece em detrimento aos outros sentimentos e réguas.


Medir o sucesso com a régua do "ter" é, na contemporaneidade, um problema enorme e de difícil solução. É óbvio que não haverá mais recursos no mundo se utilizarmos apenas a régua do "ter" para medir se as pessoas e empresas estão se dando bem e acumulando riquezas.


Aliás, acumular riquezas daqui para frente será o nosso maior problema. Se quisermos um mundo mais justo, ético e com menos problemas, como os que vemos hoje, temos que achar outro significado para sucesso. Seja eles: pessoal, familiar, organizacional.


Para re-significar o conceito de sucesso temos que encontrar outras métricas que devam ser importantes e menos opressoras para os seres humanos. Sim, o sucesso é um estado mental opressor. Tanto para quem tem, que fica escravo do seu, como para quem não tem, que acaba indo atrás a todo custo.


O caminho está na reflexão profunda sobre o conceito e tudo o que ele abarca. Tudo indica que o conceito deverá migrar do singular para o plural. O sucesso deverá ser coletivo e seu sentimento também.


De alguma forma, esse novo conceito plural, é contra a natureza humana. Será necessário muito tempo para que estejamos evoluídos o suficiente para adotar esse novo conceito.


Tudo tem um começo. A reflexão sobre o tema é o que proponho. Vamos conversar?

17 visualizações