É um equívoco falar “Código de Ética”. Você sabe o porquê?


Conhecer ética e moral de forma estruturada e profunda e uma decisão que você pode tomar e que te levará para outro patamar na vida pessoal, profissional e social. Você evoluirá!


Após 58 anos (1964) sem colocarem a Filosofia como disciplina obrigatória na educação brasileira, não estudamos ética e moral (campos da filosofia) e tornamos o “jeitinho brasileiro” uma marca do nosso povo. Até teve graça no passado, mas hoje se tornou nefasto em todos os meios: empresarial, político, educacional, religioso, familiar e social.


Sem adotarmos a ética e moral como fio condutor em nossa vida, não evoluiremos. Seremos párias globais (vide índice de corrupção mundial 2021), geraremos descendentes medíocres, elegeremos negacionistas, ignorantes e pulhas, valorizaremos os “espertomans”, aqueles seres que levam vantagem em tudo e ficaremos alienados para sempre. Pior que tudo isso, é aceitarmos as definições de ética e moral de pessoas que não são filósofos e não estudaram com profundidade os temas e, só porque utilizam “ética” no nome de seu negócio, se julgam conhecedores e falam o que quiserem, sem base de conhecimento alguma. Um desserviço enorme para todos. Não caia nessa cilada. Se quiser saber sobre ética e moral, procure filósofos que estudaram e estudam os temas de forma contumaz.


Definitivamente, a Ética trata do bem comum com viés universal. Ela busca mostrar tanto o bem como o mal que tenha uma interpretação que sirva para o mundo todo. Por exemplo, quando falo em poluição, eu defino como: introdução de substâncias ou de energia no meio ambiente, causando efeito negativo em seu equilíbrio. Ela ocorre naturalmente ou por meio da ação humana e gera danos à nossa saúde, além de afetar animais, plantas e todos os seres vivos do ecossistema em questão. Essa definição, com mais ou menos requinte, é universal e abarca o planeta terra como um todo. Se eu continuar e querer descrever como deveria ser combatida a poluição no planeta, vou resvalar nas normas morais e/ou de conduta, que cada grupo social e cultural definiu em prol da sua comunidade.


Assim, a ética, que é universal, tem um limite bem estabelecido para sua reflexão, porém sempre deverá ter viés global que seja possível para todo animal humano. É necessário para o mundo ter um juízo de valor universal que permeie toda civilização. Sem esse juízo universal como avaliar que alguns crimes são contra humanidade?


Já a moral são s combinados que criamos e estabelecemos para os nossos grupos sociais. Grupos como: família, amigos, comunidade, trabalho, escola, bairro, cidade, estado, municípios e país, atingindo também: associações profissionais, condomínio, religiões etc. Cada grupo com suas regras específicas e que estabelecem o modus operandi de convivência civilizada. As regras morais são criadas para definir a ação de cada ser humano com base na reflexão ética.


Código de Ética ou Código de Conduta

Isto posto, é completamente errado e inapropriado falar em Código de Ética. Se a Ética é universal, como uma religião, um país, uma associação profissional ou uma empresa podem ter um Código de Ética? Seria essa instituição “mais” ética que outras? Teria ela o poder de falar que “sua ética” é mais adequada?


Por isso, o certo é falar e escrever Código de Conduta (moral) com Princípios Éticos. Os códigos morais já existem e estão aí. A Bíblia por exemplo é o Código Moral dos Cristãos. Só interessa aos mesmos e quem os segue. É a régua cristã que mede os valores e virtudes de quem adotou esse código para vida. Igualmente a Torá, o Alcorão e assim por diante. A constituição também é um Código Moral, pois serve para estabelecer as regras aos Brasileiros. O Código de Conduta dos Médicos só interessa aos médicos. O dos engenheiros, aos engenheiros, o dos advogados, aos advogados e assim vai de código em código aos quais nos submetemos.

As regras são cumulativas ou seja: um advogado, cristão, que trabalha em uma organização empresarial, mora em um condomínio e frequenta um clube, ele está submetido aos Códigos de Conduta: da OAB, da Bíblia, da Empresa, da convenção de Condomínio onde mora e do Clube que frequenta.


Conhecer ética e moral te ajuda e emitir juízos de valores corretos.

Se uma criança furta um pão em uma padaria para comer por que ela está com muita fome, como você julgaria esse ato?


Antiético? Aético? Imoral? Amoral?


Pois é, este ato não tem nada de antiético. Apenas trata-se de um ato amoral (ausência de um moral percebida), pois trata-se de uma criança e ainda não está com a consciência formada para discernir, e um ato imoral (contrário as leis – moral existentes) que deve ser analisado pelo conjunto de leis/condutas que estão submetidas aquele grupo. Pode ser que em outro grupo, país, cultura, o que a criança fez não seja imoral (ilegal).

Agora, se nós deixamos crianças com fome, isso sim é um ato antiético dos mais graves que o ser humano pode cometer. Porque fome é um problema universal (aqui no Brasil, na África, na China etc.) e devemos tratá-la de forma consciente onde se não fizermos nada, provocaremos um grande mal ao semelhante.


Por isso, se na sua empresa, associação, grupo etc. tem “Código de Ética”, rebatize esse instrumento para “Código de Conduta e/ou Moral” e ajude a valorizar e difundir o pensamento ético no mundo de forma clara e filosófica. Só assim poderemos ajudar a construir um futuro melhor e ético para todos.


Como dizia Saramago: “A única evolução possível para o ser humano é a evolução ética. O resto é apenas acumular bens


Nota: Ético: bem comum com viés universal; Antiético: contrário a ética universal existente; Aético: ausência de uma ética percebida; Moral: certo e errado com viés singular; Imoral: contrário a moral existente; Amoral: ausência de uma moral estabelecida.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo